Como unir Tecnologia e Aprendizagem sem gerar distrações?

Atualizado: Fev 19



À medida em que a tecnologia se tornou parte do nosso dia-a-dia, a educação foi mudando. Hoje em dia é difícil imaginar um aluno da educação básica fazendo uma pesquisa como se fazia anos atrás: folheando uma enciclopédia. Bem, pelo menos não de forma física.


Hoje em dia a informação está disponível na ponta dos dedos e de forma quase que ilimitada. E embora ninguém possa negar que esse é um potencial incrível, muitos argumentam que a tecnologia tem causado mais mal do que bem, ela distrai os alunos e impacta sua capacidade de se manter atento. Isso faz com que surja a crença de que as crianças se tornam menos capazes de aprender devido às tecnologias.


Apesar de julgarmos essa ressalva sobre os efeitos da tecnologia na atenção, nosso foco aqui não será nos possíveis problemas causados pela tecnologia no processo de aprendizagem. Afinal de contas, nossas crianças são nativas digitais, isso é um fato. E o processo de educação precisa ser repensado para lidar com o modo como essas crianças aprendem.



Como a tecnologia está mudando a educação?


A tecnologia vem se provando um suporte valioso para o ensino de leitura e escrita, para o acesso de conteúdos, para as formas de avaliação, colaboração profissional e comunicação entre a casa e a escola. Dessa forma, a tecnologia pode ser utilizada para melhorar o ensino e a aprendizagem e ajudar nossos alunos a serem bem-sucedidos.


Mas como isso pode acontecer? Como de fato a tecnologia interfere na aprendizagem.


Ensino personalizado


Bem, o primeiro ponto de mudança que queremos citar é o modo como a tecnologia vem permitindo que os modelos de aprendizado se tornem cada vez mais personalizados.

Para entender isso precisamos considerar que cada aluno aprende de maneira diferente.


Sendo assim, a tecnologia permite que os educadores trabalhem com estilos de aprendizado exclusivos, caso a caso. Já existem, por exemplos, programas de ensino de matemática que se adaptam nível de habilidade de cada aluno e permitem que eles aprendam no ritmo mais adequado às suas necessidades.


Ou seja, em vez de trabalhar com livros com tarefas padronizadas para todos os alunos, a tecnologia permite que os alunos tenham uma educação que considera suas habilidades na medida que avança no programa de cada série. Esses aplicativos também podem fornecer dados importantes para o professor, que vai saber quais as áreas nas quais cada aluno tem sucesso e aquelas na quais possui dificuldade.


Mudanças na filosofia da educação


Outro ponto de interferência importante diz respeito às filosofias da educação, ou seja, nas correntes críticas sobre o papel da escola.


Vamos pensar no seguinte, se um aluno hoje pode pesquisar qualquer coisa no Google ou resolver um problema de matemática sem muito esforço através da internet, qual é o papel da educação formal recebida em sala de aula? O que a internet não pode ensinar?


O avanço da tecnologia reforça a importância da escola enquanto lugar crítico, ou seja, a técnica pode ser ensinada pela tecnologia, mas a escola é o lugar em que se aprender a aprender, a pensar, a avaliar criticamente um problema.


Aproximação dos pais com a escola


A tecnologia também permite que os pais fiquem mais próximos da escola. Atualmente, a maioria dos pais ou responsáveis estão trabalhando quando seus filhos estão na escola e, por isso, não conseguem ter uma participação física no ambiente escolar. A tecnologia permite que pais e professores conversem através de plataformas online, como os sites da escola, e-mail, etc.


Os alunos podem assumir mais responsabilidades na sala de aula


A tecnologia pode permitir que os educadores entendam melhor o processo de aprendizagem de cada aluno em uma turma e, com isso, separá-la em pequenos grupos com base nos níveis de habilidade dos alunos.


Esses grupos podem ser estimulados a, através da tecnologia, se envolverem no processo de aprendizagem e aprenderem por conta própria, escolhendo projetos, atividades, compartilhando suas habilidades. Além disso, projetos baseados em tecnologia também podem inspirar os alunos a pensar e colaborar, em vez de apenas memorizar.


A tecnologia é o futuro da educação?


Ainda não existem provas definitivas de que a tecnologia de fato torna a educação melhor, não quando comparamos a mundo anterior, sem as tecnologias digitais. Ainda assim, ela parece ser um importante meio para diálogo com os nascidos digitais e existe um otimismo com relação ao seu poder potencial e o desenvolvimento do mesmo nos próximos anos.


O benefício não é a tecnologia em si, mas o modo como ela é usada. É preciso que todos os fatores funcionem bem, é preciso que hajam educadores atenciosos, programas bem construídos e que as relações interpessoais que a escola, enquanto instituição sempre possibilitou, não seja perdida. No fim das contas, o futuro da educação não seria a tecnologia, mas o modo como os educadores a estruturam e a administram em suas salas de aula.

296 visualizações

© 2019 Route Neuroaprendizagem / Desenvolvido por Kmidia

WhatssApp.png
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon